ESG: o que é e qual a importância para seus investimentos?

O mercado financeiro também conta com tendências e projeções para o futuro, que podem ajudar a orientar o investidor em suas escolhas. Nesse sentido, vale a pena saber o que é ESG e quais são as alternativas de aportes que se enquadram nesse conceito.

De antemão, cabe destacar que esses investimentos se relacionam com a sustentabilidade — que não se limita à preservação ambiental. Assim, podem ser caminhos para quem deseja diversificar a carteira, com opções que atendem a diferentes perfis.

Quer conhecer mais sobre o que é e como investir em ESG? Confira a seguir!

O que é ESG?

A sigla ESG vem da língua inglesa e significa environmental, social and governance. Traduzindo, temos a união de ambiental, social e governança corporativa — ASG, no Brasil. Esses critérios podem ser usados para avaliar empresas e investimentos.

Assim, o conceito abrange a sustentabilidade, que vai além do aspecto ambiental. Afinal, também existe a preocupação com a responsabilidade social e a governança. Desse modo, ser sustentável se refere à longevidade e ao crescimento da empresa, com respeito à natureza e às pessoas.

Para ter um modelo de negócio considerado ESG, as organizações precisam ir além das métricas financeiras e visar um desenvolvimento integral, repensando suas práticas. Entenda os fundamentos da sigla:

  • ambiental — cuidado com o impacto ambiental provocado pelo negócio, como a origem das matérias-primas utilizadas, a gestão de rejeitos, a emissão de poluentes etc;
  • social — relacionamento com a comunidade, segurança e conforto dos colaboradores, diversidade no quadro de funcionários, respeito às políticas de trabalho e aos direitos humanos, entre outros;
  • governança corporativa — combate às fraudes em todos os níveis da corporação, respeito ao código de ética, transparência, diversidade no conselho administrativo etc.

Como surgiram os investimentos ESG?

É crescente a preocupação com os impactos da ação humana na natureza, bem como as relações entre as empresas e a sociedade. Diante desse cenário, é primordial que as pessoas e os negócios se adaptem à necessidade de práticas mais sustentáveis.

Com isso, surgiram conceitos como a economia verde e ESG — tendências que devem se expandir. Em um momento de preocupação com o impacto do aquecimento global e o desmatamento de biomas importantes, como a Amazônia, essa discussão ganha ainda mais relevância.

A ética empresarial e o bem-estar dos colaboradores também são pautas fundamentais que fazem parte dos critérios de ESG. Nesse cenário, a repercussão da pandemia provocada pelo Coronavírus fortaleceu alterações e reflexões sobre os hábitos das pessoas.

Além disso, a crise acendeu o alerta sobre a possibilidade de enfrentarmos novas pandemias se não houver mudanças nas práticas cotidianas. Logo, a sustentabilidade passa a ser um tema cada vez mais discutido no dia a dia e também em empresas.

Em meio a essa tendência, os consumidores e investidores também têm aumentado a procura por empresas que tenham uma atuação mais responsável. Trata-se de um movimento global, que está ganhando força no Brasil.

No mercado financeiro, há um aumento de pessoas procurando aportes alinhados aos seus valores pessoais para a carteira de investimentos. De outro lado, as empresas buscam se adequar para seguir os parâmetros ESG, cumprir a legislação e atrair investidores.

Por que investir nessas alternativas?

Como se trata de uma proposta ainda recente no Brasil, é importante conhecer melhor sobre as características dos investimentos ESG para avaliar se vale a pena acrescentá-los na carteira. Cabe ressaltar que essa não é uma tendência passageira, mas já é uma realidade.

Inclusive, gradativamente as companhias precisam se adequar a novas leis ambientais e sociais mais rígidas. Assim, é esperado que os investimentos ESG se ampliem — e apresentem vantagens ao investidor.

Dentre elas, podemos destacar a competitividade a longo prazo. Como os critérios estão sendo mais fortalecidos na indústria e comércio, as empresas que já apresentam boas práticas ficam um passo à frente de outras.

Os investimentos ESG também podem oferecer um benefício extra aos investidores no quesito segurança. Afinal, essas companhias têm menos riscos de terem problemas fiscais ou judiciais por conta dos critérios rigorosos que precisam seguir.

O modelo de negócios também tende a ganhar mais eficiência e melhor uso dos recursos, o que costuma se refletir na performance da empresa. Portanto, é possível encontrar investimentos com bons resultados financeiros.

Porém, é preciso ter atenção para a transparência das informações prestadas pelas organizações. Isso porque existem empresas que não se enquadram no modelo, mas promovem esse discurso. Essa prática é chamada de greenwashing — “pintando de verde” ou “maquiagem verde”.

Quais são as opções de investimentos ESG?

Agora que você já sabe um pouco mais sobre o que é ESG e as práticas que fazem parte do seu quadro, é interessante conhecer as alternativas de investimentos que seguem esses critérios.

Vamos lá?

Investimentos ESG de renda fixa

Na classe da renda fixa, você encontra os chamados títulos verdes ou green bonds. Eles são títulos de dívidas, que captam recursos para projetos de sustentabilidade ambiental. Desse modo, podem ser emitidos por empresas públicas, privadas ou de capital misto.

Os títulos verdes podem ser oferecidos como diferentes produtos financeiros, por exemplo:

  • certificados de recebíveis imobiliários (CRI) e do agronegócio (CRA);
  • debêntures;
  • fundo de investimento em direitos creditórios (FIDC).

Investimentos ESG de renda variável

Também existem opções na renda variável que podem atender a perfis de investidores voltados ao maior risco. É o caso de ações, fundos de índice (ETFs) e fundos de ações. O investidor pode avaliar as informações sobre a empresa ou fundo e saber se estão adequadas aos critérios ESG.

Como fazer o aporte?

O investimento em empresas que atendam aos critérios de ESG pode ser feito como os demais. É preciso abrir uma conta em um banco de investimentos e encontrar a alternativa desejada. Antes de realizar os aportes, é importante ter clareza sobre o seu perfil e objetivos.

A dica para escolher com consciência é conhecer as características de cada tipo de investimento, estudar o histórico e os fundamentos dele, compreender os riscos e verificar quais alternativas mais se enquadram em seu planejamento.

Sabendo o que é ESG e quais são as opções para investir seguindo essas práticas você pode avaliar os investimentos. Como essa é uma tendência para o futuro, pode ser uma alternativa para a diversificação da sua carteira.

Gostou das informações deste texto? Então compartilhe em suas redes sociais e faça com que outras pessoas também conheçam essa proposta!

Janaina Macedo Calvo é Doutoranda em Administração Pública e Sustentabilidade, Mestre em Controladoria, Economista e Contabilista com MBA Executivo pela BBS – Brazilian Business School com módulo internacional realizado em Luanda – Angola).

No setor público, atuou como Conselheira de Emprego e Renda do Estado de São Paulo e Conselheira do Banco do Povo (baseado na experiência do Grameen Bank). Na área executiva, atuou como Gerente de Pessoal e Finanças do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia – Crea/SP, o maior Conselho de Fiscalização de Exercício Profissional da América Latina.

Sócia da Martinez & Calvo Consultoria e Treinamento, empresa prestadora de serviços na área de finanças, negócios e economia, que trabalha na capacitação e desenvolvimento de entidades públicas e privadas e gostamos de dizer que somos um território de aprendizagem e vivências profundas com mais de 10 anos de experiência e atuação.

Compartilhe com:


Leave us a Message