Pagamentos via WhatsApp: Como funciona? Onde fazer?

Pagamentos via WhatsApp: Como funciona? Onde fazer?

No Brasil, 99% dos celulares têm o WhatsApp — o que mostra a força e popularidade do aplicativo no país. Assim, não é de se estranhar que novas funcionalidades do app comecem a ser utilizadas justamente por aqui, como os pagamentos por WhatsApp.

Como é um serviço muito recente, ainda é cercado de dúvidas, tanto por pessoas físicas como empresas. Então, vale a pena buscar informações para saber como serão as transferências de valores pelo dispositivo.

Confira este conteúdo para entender como funcionam os pagamentos via WhatsApp e como transferir recursos a partir do aplicativo!

Como funciona o pagamento no WhatsApp?

O WhatsApp Pay é o nome do serviço de pagamentos pelo aplicativo, disponível para os sistemas Android e iOS (iPhone). Como o Brasil tem cerca de 120 milhões de usuários do app, ele foi escolhido como o primeiro país para usar a funcionalidade.

O objetivo é usar a plataforma Facebook Pay para envio e pagamento de dinheiro entre pessoas físicas ou para empresas.  No caso de pessoas jurídicas, para usar o serviço é preciso ter o WhatsApp Business. A ideia é oferecer mais uma modalidade para transferência de dinheiro.

Quando começou o uso do WhatsApp para pagamentos no Brasil?

Apesar de a novidade ter chegado ao Brasil em junho de 2020, ele não consolidou o funcionamento na época. Isso porque o Banco Central (Bacen) avaliou a necessidade de analisar aspectos de privacidade e competitividade do serviço antes de autorizar a continuidade.

A suspensão do recurso de pagamento durou até o final de março de 2021, quando voltou a ser utilizado. Porém, o WhatsApp Pay está disponível ainda somente para a transferência de valores entre pessoas físicas com o uso do débito.

A autorização para o uso de pagamentos e por empresas pela plataforma ainda precisa de autorização do Bacen. A liberação das primeiras atividades foi impulsionada pela aprovação de uma modalidade nova para instituições de pagamento (IP): a de iniciador de transação de pagamento.

E é nessa categoria que o WhatsApp se encontra, visto que não participa do fluxo financeiro realizado. Com isso, uma IP não tem acesso ao dinheiro nem pode conceder empréstimos ou financiamentos.

Qual é o processo de pagamento?

Nessa primeira etapa de funcionamento, o WhatsApp Pay aceita cartões do:

  • Banco do Brasil;
  • Nubank;
  • Sicredi.

As bandeiras utilizadas são Visa e Mastercard (em parceria com a Cielo) e somente na função débito, por enquanto. Contudo, novas parcerias podem surgir, ampliando o acesso aos clientes de outras instituições bancárias e com o uso da função crédito.

Confira mais informações!

Limites de valores e custos

Para o envio e recebimento de dinheiro entre pessoas físicas não haverá custo. A ferramenta libera o envio de até R$ 1 mil por transação (limite de R$ 5 mil por mês), sendo que um usuário pode receber até 20 transações por dia.

Para empresas, a plataforma Facebook Pay cobra uma taxa de transferência de 3,99% sobre o valor recebido. Assim, os empreendedores devem ficar atentos, pois é preciso considerar outras taxas das operadoras de cartão.

Quais as vantagens do WhatsApp Pay?

Como você viu, a primeira vantagem do sistema de pagamentos via WhatsApp é trazer mais uma alternativa para os usuários transferirem dinheiro para pessoas físicas e empresas. Com isso, em questão de segundos, você pode pagar por um produto ou serviço utilizando o próprio app.

Nesse caso, não há necessidade de acessar o aplicativo do seu banco — como ocorre com o Pix ou com as transferências bancárias por DOC ou TED.

Dessa forma, ele traz a facilidade para pessoas físicas ou pequenas e médias empresas receberem os pagamentos. Afinal, quase todo brasileiro que tem smartphone utiliza o WhatsApp. O WhatsApp Pay otimiza, dessa forma, as vendas de empresas.

Outro diferencial é que o usuário, com um único aplicativo, pode enviar mensagens, compartilhar informações em grupo e ainda realizar pagamentos. Certamente, muitas pessoas considerarão a praticidade um grande benefício, não é mesmo?

Além disso, há a intenção de que o sistema de pagamento passe a estar integrado com outros produtos — como o Facebook e Instagram. Desse modo, para realizar pagamentos via essas redes sociais, será possível utilizar as informações financeiras já cadastradas no WhatsApp Pay.

Como fica a segurança para os pagamentos no app?

915

Um aspecto que gera preocupação é, justamente, a segurança do app. Afinal, é comum ouvirmos casos de contas de WhatsApp clonadas. Aqui, existe a proteção de criptografia de ponta a ponta. Além disso, para usar o novo recurso é preciso criar um PIN de seis dígitos.

O uso de reconhecimento da digital ou face em aparelhos com essa tecnologia também poderá ser utilizado para fazer as transações. Ainda, segundo o Facebook, a empresa não terá acesso nem fará o registro das transações financeiras realizadas no WhatsApp.

O processo ficará restrito aos bancos. Logo, o risco maior é o acesso de criminosos ao recurso com envio de links para pagamentos que o usuário não tenha realizado. É o chamado golpe por pishing.

Nesse ponto, o usuário deve sempre desconfiar de uma compra que ele não reconhece e evitar passar dados pessoais ou códigos de SMS para outra pessoa.

Onde fazer e como realizar essa forma de pagamento?

Quem desejar realizar as transferências de valores pelo WhatsApp Pay precisa fazer o cadastro no app. Clique no ícone de clipe (Android) ou + (iOS) e depois em pagamento. O próximo passo é selecionar a opção Facebook Pay.

Em seguida, crie o PIN com seis dígitos, que será utilizado nas transações. Na sequência, digite seu nome, telefone e CPF. Depois, basta inserir todos os dados do seu cartão.

Para fazer o envio de dinheiro para outra pessoa, entre na tela de conversa com ela. Então é só digitar o valor e realizar a transação com o uso do PIN (senha) ou verificação de biometria (de acordo com o que você cadastrou). Caso queira justificar, pode enviar uma mensagem.

Como você pode perceber, os pagamentos via WhatsApp oferecem um meio rápido de transferência de valores pelos usuários — e sem custo. Para as empresas, pode ser uma maneira de otimizar o recebimento do dinheiro dos clientes — então vale a pena conhecê-la.

Quer acompanhar outras novidades sobre serviços financeiros? Então siga a nossa página do Facebook e confira os conteúdos atualizados!

Bjoca carinhosas!!!

Janaina


Janaina Macedo Calvo é Doutoranda em Administração Pública e Sustentabilidade, Mestre em Controladoria, Economista e Contabilista com MBA Executivo pela BBS – Brazilian Business School com módulo internacional realizado em Luanda – Angola).

No setor público, atuou como Conselheira de Emprego e Renda do Estado de São Paulo e Conselheira do Banco do Povo (baseado na experiência do Grameen Bank). Na área executiva, atuou como Gerente de Pessoal e Finanças do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia – Crea/SP, o maior Conselho de Fiscalização de Exercício Profissional da América Latina.

Sócia da Martinez e Calvo Consultoria e Treinamento, empresa prestadora de serviços na área de finanças, negócios e economia que trabalha na capacitação e desenvolvimento de entidades públicas e privadas há mais de 10 anos.

Conheça nosso trabalho em:

www.palestrafinanceira.com.br

Compartilhe com:


Leave us a Message